CAMPANHA CROWDFUNDING – MARIANA SANCAR
18/03/2016
GILMA DO GRUPO GALPÃO NO BUZÃO DA SINHA ZÓZIMA
19/05/2016
Mostrar todos

MARCELO BONES NO BUZÃO DA SINHA ZÓZIMA

FRENTE 003Neste mês de maio no Buzão da Trupe Sinha Zózima esta acontecendo o projeto: “Residir é assentar tijolos na memória do tempo”, diversos profissionais que a trupe teve  a oportunidade de conhecer em suas andanças Nacionais e Internacionais, foram incentivadores para que acontecesse esse ambiente de intercâmbio.  Na programação da rodada de conversas estão em pauta  assuntos relacionados a produção cultural, e na noite de 3 de maio,  o convidado foi o querido Marcelo Bones de Belo horizonte que eu também tive a oportunidade de conhecer no festival de Santiago a Mil – Chile em 2015, Marcelo é ator e diretor de Teatro do grupo Andante, programador independente de alguns festivais de teatro no Brasil, idealizador do Observatório de Festivais e do Platô – Plataforma de Internacionalização de grupos de teatro  Mineiro.

Para quem foi, teve a oportunidade incrível de conhece-lo de perto, e saber detalhes de cada festival que ele selecionou para falar um pouco das suas especificidades. Pra quem não conseguiu ir segue um pouquinho do que me recordo que foi abordado na noite de ontem.

IMPORTÂNCIA DOS FESTIVAIS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Muitos grupos não enxergam os festivais como uma oportunidade de mostrar o seu trabalho, muitos não circulam e ficam concentrados em apenas uma região do país, onde no Brasil temos um leque de  festivais que acontecem em diversas regiões, e por mais que o retorno não seja de imediato, a longo prazo ele pode ser muito válido por diversos motivos, portfólio, relacionamento, e intercâmbio onde o grupo tem a oportunidade de conhecer outros grupos e espetáculos que também circulam, e isso é rico para o artista.

Falando sobre a experiência internacional que ainda é muito aquém no Brasil por diversos motivos: O  primeiro  motivo é relacionado as políticas publicas que não incentivam esse tipo de ação da forma que precisamos, e o outro é que os grupos dão prioridade para a circulação Nacional , pensando em festivais internacionais, somente após rodar o Brasil, quando na verdade são ações que deveriam acontecer paralelamente.

PESQUISA

Um ponto importante a ser exposto é a pesquisa sobre o festival que o grupo pretende ir, entender um pouco sobre o que ele busca de espetáculos, saber se o seu espetáculo se enquadra na proposta do festival é fundamental para que você não perca tempo e energia no que não vai dar um retorno. Tem que ligar saber quem são os programadores, conhece-los em algum momento.

Tudo isso pode parecer distante, diante de todas as outras ações que o grupo faz ao longo do ano, mas, é importante frisar que se o grupo realmente quer ter novas experiências, deve fazer o planejamento necessário para que as suas ações aconteçam paralelamente e consigam circular, conhecer e realizar intercâmbios ao longo de sua trajetória. Tem que ser “cara de pau”, no bom sentido, chegar mesmo nos programadores se apresentar, apresentar o seu grupo sem ser inconveniente, ter a sensibilidade na hora de fazer a abordagem é fundamental.

PREPARAÇÃO

Antes de iniciar qualquer ação seja ela Nacional ou Internacional é importante que o grupo organize o seu material adequadamente, com uma boa apresentação, falando sobre a sua linha de pesquisa, sobre o histórico do grupo, sobre o espetáculo em si, e as necessidades do espetáculo para se apresentar, deve ser muito objetivo na escrita e a apresentação com apenas seis slides. Se for falar em público, a apresentação não pode durar mais do que 7 minutos. Se pensa em circular internacionalmente, é regra a tradução dos materiais para outras línguas, e pensar também na tradução de uma peça. Uma dica muito importante que ele falou foi sobre não levar material muito grande em caso de festivais internacionais, pois, os programadores não guardam material, troque cartões apenas, e posteriormente  envie o material por e-mail.

Foi um encontro de compartilhamento, não é sempre que encontramos pessoas dispostas a compartilhar tanta experiência de forma tão dedicada. Marcelo esta presente em diversos festivais Nacionais e Internacionais mais precisamente a partir de 2012. E de forma independente criou as duas plataformas: Observatório de Festivais lançada no final de 2014, e o Platô. Para saber mais é só clicar nos links das plataformas citadas.

E confira a programação das próximas rodas de conversas no Buzão da Trupe Sinha Zózima que dedicadamente esta oferecendo essa oportunidade para nós! Clique Aqui  conheça a programação completa e fique por dentro dos próximos encontros.

Até a próxima!

 

Os comentários estão encerrados.

Facebook Iconfacebook like buttonMeu blogMeu blogMeu blogMeu blog
Scroll Up