MARCELO BONES NO BUZÃO DA SINHA ZÓZIMA
04/05/2016
TATIANE LUSTOZA DA TRUPE SINHA ZÓZIMA
03/06/2016
Mostrar todos

GILMA DO GRUPO GALPÃO NO BUZÃO DA SINHA ZÓZIMA

1515040_653389441378141_916694710_n

Neste mês de maio no Buzão da Trupe Sinha Zózima esta acontecendo o projeto: “Residir é assentar tijolos na memória do tempo”, diversos profissionais que a trupe teve  a oportunidade de conhecer em suas andanças Nacionais e Internacionais foram incentivadores para que acontecesse esse ambiente de intercâmbio.  Na programação da rodada de conversas estão em pauta assuntos relacionados à produção cultural e mais uma vez eu não pude ficar de fora da programação, no dia 16 de Maio quem esteve no Buzão compartilhando a sua trajetória foi a Gilma Oliveira, Produtora há 19 anos do Grupo Galpão de Teatro de Belo Horizonte, da qual eu também tive a oportunidade de conhecer no Festival  de Santiago a Mil – Chile em 2015.

 

SOBRE O GRUPO GALPÃO:

Para quem não conhece já esta mais do que na hora de conhecer, e acompanhar a sua trajetória! O Grupo Galpão é uma companhia de teatro originária do teatro de rua de Belo Horizonte. Fundado em 1982 por Teuda Bara, Eduardo Moreira, Wanda Fernandes e Antônio Edson, teve sua primeira peça, E a Noiva Não Quer Casar, encenada na Praça sete de setembro, área central de Belo Horizonte, em novembro do mesmo ano. Sua fama veio em 1992 quando encenou Romeu e Julieta de Shakespeare, com uma montagem típica de teatro de rua, recebendo os prêmios do júri popular do Festival Nacional de Teatro de Curitiba e Shell especial, em 1993. O grupo fez também várias turnês nacionais e internacionais, embora suas temporadas geralmente sejam curtas. Em 2000 torna-se o primeiro grupo brasileiro a apresentar-se no Globe de Londres, famoso local onde se encenam apenas peças de Shakespeare, com sua versão de “Romeu e Julieta”. (fonte: Wikipédia)

O Grupo possui um formato de direção muito enriquecedor, onde a cada montagem é convidado  um diretor diferente pra poder dirigi-los, é sempre um novo desafio, eles tem se se adaptar a novas formas, e o resultado gera um aprendizado muito grande e amadurecimento para o grupo.

FALANDO DE PRODUÇÃO

Gilma nos deu um “banho” maravilhoso de Produção Cultural e nos fez enxergar além do que estamos acostumados. O Grupo Galpão segue uma filosofia de sempre levar os seus espetáculos para os mais distantes lugares. Lugares estes que na maioria das vezes as pessoas nunca teve a oportunidade de assistir um espetáculo, desta forma eles acabam transformando e enriquecendo de cultura o povoado daquele local e os arredores dele.  Imagine um grupo se deslocando em turnês pelos lugares mais desfavorecidos do Brasil levando caminhão com estrutura gigante de cenários, figurinos, equipamentos de luz e de som, adereços, como a Gilma diz: toda a “parafernália” e mais a equipe técnica e artística. E após sair para turnê e já distante do local de origem se deparar com um trajeto totalmente impossível de ser realizado pelo mal funcionamento de estradas, impossibilitando de  continuar o caminho, e ter que mudar a turnê por conta disso!

 É ai que esta o trabalho do produtor: Pensar da melhor maneira em como fazer o intangível ser tangível.

Trabalhar com cultura é um desafio, é ir pelo caminho torto é não se contentar com o óbvio, é não desestruturar o barco e saber que você tem uma equipe que precisa de você, por isso nos orientou sobre  diversas características que um produtor de verdade deve ter:

BOM HUMOR  pra conseguir levar as dificuldades de forma leve.

SER PRAGMÁTICO – Sem exagero, pois não devemos esquecer que as regras devem existir sim, mas, o motivo de tudo isso é a arte, por isso tente ser o mais sensível que puder, estamos trabalhando com artistas em função de ajudar uma sociedade a ser melhor, pense muito nisso!

HABILIDADE Ter habilidade pra poder viabilizar o intangível ou irrealizável.

JOGO DE CINTURA – Jogo de cintura pra lidar com todas as situações previstas e não previstas.

PERSEVERANÇA E PERSISTÊNCIA – Pois trabalhar com cultura é persistir em momentos que achamos que estamos prestes a perder o jogo, mas, se insistirmos mais um pouco conseguimos.

EQUILÍBRIO – Equilíbrio pra enfrentar as dificuldades.

APRECIAR DESAFIOS Porque tudo que esta muito “certinho” vira rotina, produtor tem que gostar mesmo dos desafios que vem pela frente.

E Por fim SENSIBILIDADE, INTELIGÊNCIA E OUSADIA, e não esquecer que o produtor é responsável pela HARMONIA entre a equipe, e as suas atitudes e as atitudes de todos negativas ou positivas vão ser o espelho na hora que o ator subir no palco e realizar o espetáculo!

PONTOS IMPORTANTES:

Durante a conversa Gilma nos contou diversos aspectos consideráveis ao se realizar turnês Nacionais e Internacionais com espetáculos de Teatro

  • Fazer o roteiro de viajem pra toda a equipe, horário de partida, pausas, principais telefones da cidade, (hospital/bombeiro/farmácias/policia/), dias de folga/, horário de retorno, e  outros aspectos que forem relevantes estar no seu roteiro;
  • Uma das principais cuidados que devemos ter é: Olhar a agenda de eventos da cidade que esta no seu roteiro, na maioria das vezes, é ruim chegarmos em uma cidade no meio de um evento que já esta acontecendo, pode ser um evento tradicional da cidade, e você acaba se frustrando, pois, acaba não tendo o público esperado pra assistir o espetáculo;
  • Antes de definir se vai ou não para a cidade destino, entre em contato com as autoridades públicas, prefeituras, secretária de cultura, se houver, contato com grupos de teatro da cidade. Se Possível contrate um produtor local,ele conhece melhor do que você a cidade, e vai conseguir as informações de forma mais rápida e fazer com que o seu espetáculo seja bem recebido, e a cidade não se sentir invadida;
  • Divulgar o evento na cidade com antecedência é um aspecto muito importante, fazer um “barulho” na cidade antes de chegar, para que as pessoas se planejem para o seu espetáculo.
  • Realizar bate papo tanto com o público geral, quanto com a classe artística da cidade, essa troca é importante para o seu grupo e para o grupo local, pois acaba gerando um intercâmbio de ideias, e a resposta do público pode ser fundamental pra poder melhorar ou afirmar alguns aspectos do espetáculo;
  • No caso de turnê internacional é imprescindível que você faça um mapa do seu cenário, pois, nem tudo você vai conseguir levar, coloque tudo no papel: descrição, tamanho, estrutura, material, peso, (como se fosse um manual)para que o engenheiro possa reproduzir no formato que você precisa;
  • Não se esqueça do seu comprometimento com o espaço que esta ocupando, não pode sujar o local que você esta apropriando por um determinado tempo, deve-se limpar tudo no final, não esquecer que você está criando uma relação com aquela cidade e as pessoas que estão nela, por isso zele para que da próxima vez seja bem recebido novamente pela cidade toda;
  • Quando voltar de turnê faça o seu relatório final, contando o que deu certo, o que realmente funcionou, mas não esqueça de inserir nele o que também ficou pendente ou não aconteceu da forma que deveria, ou então o que pode ser feito em uma próxima, para que você possa usa-lo como referencia no futuro pra melhorar os processos e tornar o espetáculo sempre inesquecível para o público e para a equipe;

Foi gratificante estar nesse encontro promovido pela trupe Sinha Zózima, e tão iluminado pela querida Gilma que se deslocou de Belo horizonte só pra estar conosco!

Confira a programação das próximas rodas de conversas no Buzão da Trupe Sinhá Zózima QUE JÁ ESTA ACABANDO! Mas ainda da tempo, não perca essa oportunidade!  Clique Aqui  conheça a programação completa e fique por dentro dos próximos encontros.

Se quiser conhecer os outros posts sempre  com o mesmo tema: Intercâmbio e Produção Cultura clique aqui e se inscreva no blog pra receber diretamente as ultimas postagens!

Abraços!

Os comentários estão encerrados.

Facebook Iconfacebook like buttonMeu blogMeu blogMeu blogMeu blog
Scroll Up